Muito Hip Hop no Grammy 2019 - Se Liga

  Mais prêmios para mulheres e mais trabalhos de rap entre os escolhidos. Estas foram as duas principais notícias positivas da edição 2019 do prêmio Grammy, a principal honraria da indústria fonográfica americana. Em contraste, o fato de que diversas estrelas da músicas declinaram convites para se apresentar na premiação denotou uma queda de prestígio do Grammy. Em um dos casos, com a cantora Ariana Grande, a organização responsável pelo prêmio foi acusada de preconceituosa e mentirosa. Seguindo uma tendência que vem se registrando ao longo dos últimos anos, em especial de 2017 para 2018, a transmissão da cerimônia pela televisão teve audiência menor nos Estados Unidos que o ano anterior. O Grammy é concedido desde 1959. Em 2012, o número de categorias foi reduzido de 109 para 78. A maior parte dessas se refere a gêneros de nicho ou atributos técnicos, não sendo incluídas na transmissão oficial. Uma das mudanças naquele ano foi a fusão de categorias de performance solo masculina e feminina, em diversos gêneros, em uma única categoria.

Link para matéria: https://www.nexojornal.com.br/expresso/2019/02/11/Das-mulheres-ao-hip-hop-4-destaques-do-Grammy-2019

© 2018 | Todos os direitos deste material são reservados ao NEXO JORNAL LTDA., conforme a Lei nº 9.610/98. A sua publicação, redistribuição, transmissão e reescrita sem autorização prévia é proibida.

Mulheres em destaque No ano passado, a premiação foi amplamente criticada pelo viés masculino. A hashtag #GrammySoMale (Grammy tão macho) expressou o sentimento pelas redes sociais. Para piorar, o presidente da entidade que organiza o Grammy, Neil Portnow, reagiu à demanda dizendo que as mulheres precisavam melhorar seus esforços no sentido de conquistar mais espaço.

Link para matéria: https://www.nexojornal.com.br/expresso/2019/02/11/Das-mulheres-ao-hip-hop-4-destaques-do-Grammy-2019

© 2018 | Todos os direitos deste material são reservados ao NEXO JORNAL LTDA., conforme a Lei nº 9.610/98. A sua publicação, redistribuição, transmissão e reescrita sem autorização prévia é proibida.

Problemas com hip hop "O fato é que continuamos a ter um problema no mundo do hip hop”, declarou Ken Ehrlich, produtor da cerimônia desde a década de 1980, ao jornal americano The New York Times, na semana anterior à premiação. Era um comentário sobre o fato de que, ano após ano, o Grammy pareceu ignorar vários dos destaques de hip hop (e do R&B) do momento, desconectando-se progressivamente dessa cena. Em diferentes anos, o Grammy foi criticado por figuras como Jay-Z, Frank Ocean, Kanye West e Drake. Drake, Kendrick Lamar e Childish Gambino recusaram convites para se apresentarem na cerimônia deste ano. Ao receber, o prêmio de Melhor Canção de Rap por “God’s Plan”, o canadense Drake usou a oportunidade para cutucar o Grammy. Disse que o artista que tem público pagando ingressos para vê-lo “já ganhou” e “não precisa disso”, mostrando o troféu que acabara de receber. “This is America”, de Childish Gambino, cuja música e clipe foram um dos hits que marcaram 2018, levou o prêmio de Melhor Canção e Melhor Gravação. Foi a primeira vez que uma música de rap conquista qualquer um destes dois prêmios, sempre conferidos a títulos no formato de composição tradicional. Se foi uma tentativa de melhorar sua imagem na comunidade do rap, acabou por evidenciar o descompasso da organização com um gênero cuja relevância no cenário remonta à década de 1980.

Link para matéria: https://www.nexojornal.com.br/expresso/2019/02/11/Das-mulheres-ao-hip-hop-4-destaques-do-Grammy-2019

© 2018 | Todos os direitos deste material são reservados ao NEXO JORNAL LTDA., conforme a Lei nº 9.610/98. A sua publicação, redistribuição, transmissão e reescrita sem autorização prévia é proibida.


Fonte:https://www.nexojornal.com.br/expresso/2019/02/11/Das-mulheres-ao-hip-hop-4-destaques-do-Grammy-2019


Categoria:Exemplo de categoria

Deixe seu Comentário